App do Mapa Turístico do Crato

Instale o aplicativo no seu celular

Baixar
Revista Digital do Mapa Turístico do Crato

Natureza, História, Cultura, Religiosidade, Artes, Culinária, Festas

Acessar

Parque Estadual Sítio Fundão

O Parque Estadual Sítio Fundão é uma reserva ecológica e histórica localizada a 576 km de Fortaleza, e faz parte do Geossítio Batateiras, que está vinculado ao Geopark Araripe. A área é abastecida pela fonte da Batateira, que nasce na encosta da serra. Com 93,5 hectares, a área foi desapropriada pelo governador Cid Gomes em 2008, ao acatar a justificativa do então Presidente do Conpam, André Barreto, transformando o local em Parque Estadual. A fauna e a flora do local ainda estão em pesquisa para sua identificação. Possui um clima quente e semi-árido, e a hidrografia é composta por rios, quedas d’água, riacho e córregos. Possui quatro trilhas. Sua vegetação é de mata atlântica e cerrado.

Jéferson da França Alencar era seu antigo proprietário. Falecido em 1986, Jéferson promovia ações voltadas à preservação do meio ambiente, e morava dentro da reserva em uma casa feita de taipa, com dois andares (única no Ceará, pois essa técnica não permitia construções com mais de um andar). Morava antes em uma casa de um andar que não possuía nem portas nem janelas, pois o mesmo sentia-se totalmente seguro morando em meio às matas do Sítio Fundão.

Dentro de seus limites há ainda ruínas como o engenho sítio fundão, que ficou ativo de 1904 a 1945, e funcionava através de tração animal, e uma barragem feita pelos escravos, onde funcionou a primeira hidrelétrica do Cariri. Fundada por D. Pedro II, por conta da seca que assolava a região, a barragem data do ano de 1875, e ajudava no abastecimento da energia local antes da energia de Paulo Afonso.

Fonte: Inventário Turístico de 2014.


Floresta Nacional

A Área de Proteção Ambiental (APA) Chapada do Araripe, gerida pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), com sede no Ceará - Crato, foi criada em 4 de agosto de 1997. Tem como bioma a caatinga, possui 972.590,45 hectares de área, sendo que 47% dessa área fica no Ceará (15 municípios), 36% no estado do Pernambuco (12 municípios) e 17% no estado do Piauí (11 municípios). As espécies em sua fauna ameaçadas de extinção e que estão inseridas no plano de proteção são o pássaro Soldadinho do Araripe e a Onça-parda. Possui um clima quente e semi-árido, e a hidrografia é composta por rios, quedas d’água, riachos, córregos e fontes. Possui trilhas e mirantes. Sua vegetação é de mata atlântica e cerrado, tendo como exemplos de espécies endêmicas o visgueiro, o piquiseiro e o maracujá peroba, possuindo a prática de extrativismo vegetal de algumas dessas espécies, além de abacaxi, mandioca, caju, urucum, andu, entre outros.

A Floresta Nacional Araripe-Apodi é a primeira Unidade de Conservação da Natureza de sua categoria estabelecida no Brasil. Segundo CARVALHO et al. (1995), à época, só haviam os Parques Nacionais (PARNA) de Itatiaia (1937), Iguaçu e Serra dos Órgãos, ambos de 1939 e a Reserva Biológica (REBIO), de Soretama instituída em 1943. Sobre o bioma da FLONA: Área de Tensão Ecológica, abrangendo as seguintes unidades fitoecológicas, segundo FIGUEIREDO et al. (1998), CAMPELLO, Francisco C. B.... [et al.] (2000); AUSTREGÉSILO Fo., Péricles Tavares ... [et al.] (2001) e IBAMA (2003): Floresta Subperenifólia Tropical Plúvio-Nebular (Mata úmida serrana) =12,34% Floresta Subcaducifólia Tropical Xeromorfa (Cerradão) = 37,32% Cerrado = 42,67% Carrasco = 6,67% Matas Secundárias = 0,07% Áreas sem Cobertura Florestal = 0,93%

Fonte: Inventário Turístico de 2014.

Estátua de Nossa Senhora de Fátima

A estátua de Nossa Senhora de Fátima na cidade de Crato-CE, construída em fibra de vidro, medindo aproximadamente 45 metros de altura, sendo considerado o maior do nosso País, foi inaugurada em 21 junho de 2014. A imagem de Nossa Senhora de Fátima deverá se constituir em mais um fator de atração do turismo religioso para o Cariri, no Ceará. A região é um dos principais destinos dessa modalidade de turismo do país, com as romarias de Juazeiro do Norte e a festa de Santo Antônio em Barbalha-CE.


Igreja Nossa Senhora de Fátima

É uma igreja bastante popular na cidade por ter o púlpito com visão panorâmica, ou seja, em qualquer lugar que as pessoas sentarem, olharão diretamente para o púlpito. Foi construída para ser uma pequena homenagem para a Nossa Senhora de Fátima, mas depois cresceu e se tornou paróquia. Sua construção contou com a ajuda dos fiéis e de uma empresa alemã. Todo dia 13 são celebradas três missas, às 06:30, novena; às 12:00, missa; e às 19:00, porcissão.


Igreja da Sé Catedral

As manifestações religiosas em Crato fazem da cidade um importante atrativo. A terra em que nasceu o Santo do Nordeste, o Padre Cícero, se insere como rota turística neste campo a partir de agora, em um dos mais importantes caminhos de peregrinação religiosa do Nordeste com a construção da maior estátua dedicada a Nossa Senhora de Fátima. Outro fator de destaque é a existência da Pia Batismal, localizada na Sé Catedral, onde foi batizado um dos maiores ícones da religiosidade nacional: o Padre Cícero Romão Batista.

Fonte: Revista digital da Seturdes.


O Seminário São José

Em 04 de janeiro de 1768, foi criada a Paróquia de Nossa Senhora da Penha. Aqui, Padre Cícero foi batizado em 08 de abril de 1844. A Pia Batismal é hoje, um importante artefato de contemplação para fiéis, visitantes e turistas. Entre 1855 e 1911, foi construída a edificação atual, sediando a primeira diocese criada no interior do Ceará, em 1914. O Seminário São José foi fundado pelo bispo Luiz Antonio dos Santos no ano de 1875. Com 139 anos de existência, realiza trabalhos de educação para crianças e jovens da região, e isto não só para os que querem ser padres. É a segunda instituição educativa do estado do Ceará. Já esta igreja que fica integrada ao seminário, recebe muitas pessoas quando há festas, romarias e procissões relacionadas a São José, principalmente durante o mês de Março.

Fonte: Revista digital da Seturdes

Esta foto foi tirada por Tereza no evento religioso, que acontece de ano em ano no Seminário São José, no dia 19 de Março, em homenagem ao Santo São José. A procissão tem início no fim da tarde e é considerado por muitos a segunda maior procissão do município.


O Palácio Episcopal

O Palácio Episcopal do Crato foi construído na década de 30, e inaugurado pelo 2º Bispo do Crato, Dom Quintino, cuja construção foi totalmente custeada pelo mesmo.

O prédio foi totalmente construído em Art-nouveau, pelo arquiteto e urbanista Augostino Balmes, que foi o responsável pela maioria das construções de relevância no município do Crato, a mando de Dom Quintino. O prédio possui mosaicos da década de 40.

O 2º Bispo chegou ao Crato durante a seca. No fim da década de 30, com a herança de família concluiu o hospital e colocou o nome de São Francisco. O Bispo fez um plano de restauração nas Igrejas do Crato, pelo arquiteto Augostino Balmes.

O último Bispo a morar no palácio foi Dom Vicente. A estrutura do palácio é muito bem preservada, e possui uma boa manutenção, no entanto, o prédio é descaracterizado pela utilização de azulejos, sendo ainda possível identificar seu estilo e seus elementos arquitetônicos.

O mesmo não segue as normas da ABNT, entretanto, a sua falta de acessibilidade é justificada por se tratar de um templo religioso e por esse motivo, deva preservar sua estrutura, tanto física como espiritual, além e que uma alteração causaria a descaracterização de seu estilo arquitetônico predominante.

Fonte:Inventário Turistico de 2014.


Caldeirão

A Igreja é aberta uma única vez ao ano durante a Romaria do Caldeirão, em 22 de dezembro. Construção provavelmente do início do século com linhas arquitetônicas do neo clássico e elementos do neo-gótico nos pináculos das colunas aparentes do portal de entrada e das laterais da nave.

A Igreja é localizada dentro do Sítio Caldeirão, local de grande valor histórico para o Estado do Ceará, principalmente para a região do Cariri, pois foi o local onde houve o grande massacre da comunidade que lá vivia, sob a liderança do beato José Lourenço, seguidor do Padre Cícero. O caldeirão foi cedido pelo padre ao beato, para que este pudesse dar aos seus seguidores um lugar para viver, entretanto após a morte de Padre Cícero o Sítio foi invadido pelas forças policiais da época, e os habitantes da comunidade Caldeirão foram mortos e expulsos.

Até o próprio zelador da igreja é negligenciado. Pelo fato de ser aberta apenas uma vez por ano, a Igreja e o memorial do caldeirão, que também está localizado dentro o Sítio Caldeirão, acaba sendo negligenciada durante todo o período em que não é utilizada, dependendo apenas dos cuidados do caseiro que lá habita com sua família, em condições também humilde e negligenciada.

A igreja não segue as normas da ABNT, entretanto a sua falta de acessibilidade é justificada por se tratar de um templo religioso e por esse motivo, deva preservar sua estrutura, tanto física como espiritual, além e que uma alteração causaria a descaracterização de seu estilo arquitetônico predominante.

Fonte: Inventário Turistico de 2014.

Reisado

No Crato , a CULTURA POPULAR é uma das manifestações mais ricas na tradição das brincadeiras com com música e danças e festas Floclóricas. A Presença marcante das diversas manifestações cuturais, vinda das comunidades do sopé da Chapada do Araripe como Bandas Cabacais, Reisado, Coco, Maneiros-Paus, Lapinhas, Maracatu e outras atividades colocaram a cidade como um dos maiores celeiros cuturais do Brasil.

Folia de Reis, Reisado, ou festa de Santo Reis é uma manifestações cultural religiosa festiva e classificada, no Brasil, como flocore; praticada pelo adeptos e simpatizantes do catolicismo, no intuito de comemorar a atitude de Três Reis Magos - que praticam em uma jornada à do esconderijo do Prometido Messias O menino Jesus Cristo -para prestar-lhe homenagens e dar -lhe presentes.

Essa histório é relatada na Biblia. Ficando o nascimento de Jesus Cristoa 25 de dezembro adotou-se a data a visitação dos Três Reis Magos como sendo o dia 6 de janeiro. Os festeijos vieram com a colonização mas incorporaram elementos regionais advindos da miscigenação do povo.


Banda Cabaçal

A Banda Cabaçal ou Banda de Couro é o conjunto musical mais típico do interior cearense, notadamente da região caririense. Originou-se no meio dos escravos africanos, segundo alguns estudiosos, mas se desenvolveu e adquiriu suas peculiaridades principais entre o próprio povo do Cariri. Outros justificam a influência indígena, possivelmente devido ao uso de instrumentos, de características indígenas.

A Banda Cabaçal se compunha de quatro elementos tocando zabumba, pífaros e uma caixa. Atualmente é comum ver-se cinco elementos vez que, o uso dos pratos, foi introduzido, talvez por influência da Banda de Música. Quanto ao termo “cabaçal”, tem como explicação a semelhança do barulho do conjunto com aquele produzido pelo choque de cabaças secas. O Instituto Cultural do Cariri (ICC), mantém sob sua responsabilidade cerca de sete conjuntos, sendo um dos mais famosos, a Banda Cabaçal Irmãos Aniceto, localizada no município de Crato.


Lapinha

Lapinha é um presépio que se arma na época natalícia. É tradicional no folclore brasileiro, principalmente no Nordeste, e no arquipélago da Madeira, em Portugal. No Brasil, caracteriza -se pelo conteúdo hierático de adoração ao Menino Deus, com estrutura bastante definida, como a chegada ao presépio, adoração, tentativa de rapto ao Menino Jesus (morte e ressurreição da Contramestra ou da Mestra), sedução da pastorinha, previsões da cigana, ofertório, despedidas e queima de Lapinha. Toda a evolução é acompanhando por cânticos regionais com entoação particular.


Maneiro Pau

O maneiro-pau é um bailado de roda existente no Ceará e dançado exclusivamente por homens. A principal característica da dança, que tem semelhanças musicais com a capoeira, é o uso de pequenos bastões entrechocados pelos participantes para acentuarem a nota dominante do canto, que lembra o baiano. O cantor-solista atua sem instrumental, incentivando o jogo e fazendo nascer um coro formado pelos assistentes, que gritam “Maneiro pau, maneiro pau!”


Maracatu

O Maracatu é a mais tradicional dança dramática de origem afro-brasileira presente na cultura do povo cearense, mostrando um ritmo dolente e compassado, configurando um cortejo formado por baliza, porta-estandarte, índios brasileiros e nativos africanos, negras e baianas, negra da calunga, negra do incenso, balaieiro, casal de pretos velhos, pajens, tiradores de loas, também chamados de macumbeiros, e batuqueiros, em reverência a uma rainha negra e sua corte real. No Ceará, o povo caboclo usa uma mistura de fuligem, talco, óleo e vaselina em pasta para tingir o rosto de negro, prática adotada por todos os brincantes, à exceção do cordão de índios.

Fonte:Revista digital da Seturdes.


Centro Cultural do Araripe

A Refesa é hoje onde funcionava a antiga Estação Ferroviária da cidade, ainda mantendo sua estrutura original. Hoje é utilizada para fins culturais.

A sua arquitetura é indefinida, pois embora possua elementos de diversos estilos, como sua platibanda, arabescos e os arcos romanos, não se caracteriza em nenhum estilo arquitetônico propriamente dito, não deixando no entanto, de apresentar uma beleza excepcional, e um tanto quanto fora do comum, se destacando entre as outras obras arquitetônicas do município.

Fonte: Inventário Turistico de 2014.


Museu Histórico

Casa de Câmara e Cadeia datado da metade do século XIX, com estilo puramente Neoclássico. O prédio, atualmente, faz parte do patrimônio histórico e cultural do município, sendo ele tombado pela Lei do Plano Diretor Municipal, Subseção IV- Do Tombamento.

Em 1970, o edifício se tornou o Museu Histórico do Crato, com um acervo rico em obras como: Escultura de CelitaVacane “vaccané” ou “vacumi”, telas de Sinhá da Mora, Bruno Pedrosa, Sérvulo Esmeraldo e José Reis de Carvalho.

O museu abriga um acervo de desenhos, esculturas, gravuras e fotografias. Objetos pessoais de Bárbara de Alencar, importante figura para a história do Ceará e do Brasil, equipamentos de fiação e tecelagem, atividades comerciais e musicais, instrumentos de castigo e objetos arqueológicos líticos são peças de seu acervo.

O museu não segue as normas da ABNT, entretanto, a sua falta de acessibilidade é justificada por se tratar de uma edificação histórica, e por esse motivo, deva preservar sua estrutura, além de que uma alteração causaria a descaracterização de seu estilo arquitetônico predominante.

Fonte: Inventário Turistico de 2014

Fest Crato- Eventos Trilhas

Fest Crato - Evento Concurso Fotografia

Evento 1º de Maio com a Kariri Garden Shopping

Video comemoração do aniversário do Crato

Romaria das Candeias

Domingo nas Trilhas com a Participação do Prefeito José Airton Brasil

Institucional

Luís Carlos Duarte Sobreira Saraiva, Secretário Municipal de Turismo e Desenvolvimento Econômico Sustentável, natural de Recife-PE. Bacharel em Direito pela Universidade Regional do Cariri – URCA (1997). Pós-graduado em Direito Empresarial (2003). Procurador-Arrecadador do ECAD (1999-2001). Procurador Geral do Município de Salitre (2001-2002). Assessor Especial do Gabinete da Prefeitura do Crato (2002-2004). Vereador do Município do Crato (2012-2016). Presidente da Câmara Municipal do Crato (2012-2014).

Endereço: Largo Júlio Saraiva, S/N , Centro, Crato-CE CEP: 63100-970

E-mail:seturdescrato.crato@ce.gov.br

Telefone: 3521-9600, Ramal:227